Passaporte para a Imortalidade - Andy Warhol

A Arte é o espelho da nossa alma. Dorian Gray e Fausto retratam sonhos: beleza, prazer, sabedoria... Oscar Wilde e Goethe souberam captar nosso íntimo, retratar suas épocas e entraram para a História. Esse é o poder da folha, da partitura e da tela em branco. Elas não esperam apenas mais um texto, mais uma canção, mais um quadro. Diante delas, um inglês escreveu “Ser ou não ser”. Um alemão combinou quatro notas mágicas em sua 5ª. Sinfonia. E um italiano pintou um sorriso enigmático. Passaram-se os séculos. E Shakespeare, Beethoven e da Vinci seguem vivos e reverenciados. Nenhum deles planejou isso. Mas ao traduzirem suas almas em suas obras, conquistaram um passaporte para a imortalidade. Quando essa entrega acontece, o observador é conquistado. E aplaude um estilo, que buscará avidamente no próximo quadro. Até criar uma intimidade que lhe permita em segundos relacionar a obra ao autor.

Vamos conversar sobre alguns artistas e seus estilos inconfundíveis.

Hoje conosco, Cândido Portinari.




Existem várias versões da pintura pop “Marilyn Monroe” repetidamente. A única mudança é que o laranja no fundo se transforma lentamente em preto. Essa obra foi feita a partir de uma técnica de serigrafia. Então Warhol usou uma foto de um comercial do filme Niagara (1953), de Monroe e fez uma serigrafia do rosto, combinada da arte bizantina.


Warhol retratou a celebridade como um produto consumível. Portanto, percebemos que ele é um dos artistas que melhor capta o espírito de fama e celebridade. Ou seja, imortalizar o conceito de fama reconhecendo sua simplicidade. "No futuro, todos terão quinze minutos para se tornarem famosos", disse Warhol, e neste momento deixou clara a frustração vivida pelas celebridades. Esta pintura enfatiza particularmente isso.


Warhol simplificou tudo à medida que os detalhes foram substituídos por desenhos ousados ​​e coloridos. Ao mudar o tom de cada imagem, desenvolveu o efeito temporal da pintura impressionista de Monet. Através do uso da luz, ele nos mostra a desumanização, o consumo e até a morte. Neste caso particular de uma celebridade como Marilyn Monroe, um ícone amado que foi encontrado morto. Assim, nesta pintura, ele gradualmente retrata as várias fases da vida de Monroe, passando por elas até sua morte.



Merilyn Monroe

Marisa Melo (5).jpg

Olá,
sou Marisa Melo!

Olá, sou Marisa melo, inquieta e fascinada pela vida. Fascínio que se manifesta também, na Gastronomia, no universo dos livros e das ideias. Nas cores, na Pintura, na Música e em tudo que me faça pensar. Apaixonada pelos animais, especialmente cachorros! Acredito que todo conhecimento deve ser compartilhado. O que cada um vive e compartilha, enriquece e abre caminhos para todos. Aquela receita maravilhosa. O livro que não dá pra largar. A magia luminosa de uma foto inspirada. A conexão total entre o que comemos e nossa saúde. Entre nossa aparência e nossa autoestima. Quero sempre transmitir a minha verdade. Na foto, no texto, na opinião. Às vezes contra a corrente, às vezes nas entrelinhas. Sem a preocupação do elogio fácil.

Post Archive 

Tags