top of page

ENTREVISTA / Luah Jassi: A Artista Plástica Que Desafia Emoções e Reflexões

Atualizado: 19 de out. de 2023



Luah Jassi é uma artista plástica brasileira nascida em Florianópolis/SC em 06/02/1955. Além de seu ofício nas artes, também exerce as profissões de advogada e economista, com escritório em Criciúma/SC, mantendo seu estúdio de arte em sua cidade natal. Desde a infância, seus pais a incentivaram a explorar diversas áreas artísticas, incluindo artesanato, música e artes visuais.

Jassi é conhecida por seu notável talento artístico e é frequentemente descrita como uma verdadeira "máquina" criativa. Ela trabalha com paletas vibrantes de acrílico rico em pigmentos, tendo o vermelho como cor predominante em suas obras. Seu estilo é caracterizado como abstrato figurativo, e suas criações exibem figuras que mesclam ludicidade com tragédia, evocando uma ampla gama de emoções e sensações no espectador. Em alguns momentos, suas obras refletem o lado jovial e descontraído da existência, enquanto, em outros, exploram a complexidade e inquietude da vida real.

Através de sua arte, Jassi consegue traduzir em imagens as profundas complexidades da experiência humana, desafiando o público a refletir e questionar questões essenciais da vida. Seu trabalho é uma significativa contribuição para a cultura brasileira e exemplifica como a arte pode se tornar uma poderosa ferramenta para a expressão e transformação da sociedade. A obra de Luah Jassi convida a uma jornada emocional e intelectual, revelando a profundeza da arte como meio de conexão e compreensão.

Jassi, seja muito bem vinda!





Em primeiro lugar, para quem não conhece o seu trabalho, você poderia nos contar um pouco sobre você e sua jornada para se tornar uma artista?


Fui criada com incentivo a Arte, com 7 anos já dedilhava um violão, com 5 já fazia cachecol de tricô para minhas bonecas. Na fase adulta, já casada, frequentava galerias comprando tapetes e obras de Arte para vestir meu apartamento. Cheguei a fazer consórcios na época para poder adquiri-las.


O início de minha carreira artística deveu-se ao vazio que sentia longe do mar, da família, já que havia me mudado para outra cidade, Criciúma, onde busquei no Assissi ateliê de Marlene Milanezi Justi, meu refúgio para desenvolver a pintura artística e expressar meus sentimentos.


Ali tudo começou, me negava a pintar cópias, queria criar. A professora e artista plástica, Marlene me incentivou a vencer risadas de colegas e continuar com minha Arte. A necessidade que sentia em dividir minha essência com pessoas tão diferentes de minha formação, me fez crescer e perceber que aquele era o canal de comunicação.


Sempre alegre, positiva, até infantil, consegui expressar o que pensava sobre fatos políticos, religião e sociedade, tudo de forma simbólica.

Busquei conhecimento e criei minhas técnicas, comecei!




Como é a sua arte de uma maneira geral?


Minha Arte não respeita regras, técnicas perfeitas. Não me intimido com críticas negativas, gosto de provocar! Faço ao contrário porque entendo que a construção de uma obra de Arte depende apenas da expressão, o conteúdo é você, acredito na minha simplicidade, não ouso desafiar garbosos entendedores de arte, artistas e suas sofisticadas técnicas, consigo admirá-los sem copia-los, quero apenas levar meu trabalho ao conhecimento do público, o expectador da Arte me interessa.











Nós sabemos que a arte tem, por uma de suas metas, refletir o contexto social de sua época. Como ela se caracteriza nos tempos atuais e o que estaria refletindo sobre o mundo em que vivemos?


Meu trabalho está sempre em sintonia com os acontecimentos, ou através de pesquisa trazendo fatos passados. Expresso de forma simbólica a política, a religião, os direitos ou a economia, tudo me interessa retratar, sem agredir, de forma lúdica, mas firme, deixando o expectador pensar, refletir, concordar ou dispersar. O sarcasmo está presente na maioria das vezes, disfarçado, porque a crítica ou o desprezo enaltecem.




O que você acha que é preciso para compor uma grande obra?


Considero que uma Obra para ser grandiosa precisa ser abraçada pelo público, causar no expectador toda a carga de emoção depositada pelo Artista naquele trabalho, se a mensagem atingiu e fixou sua atenção, será uma grande Obra. O bonito, esplêndido, só acontece com a existência do código perfeito.













Qual obra sua você destacaria como um marco na sua vida artística?


Destaco como marco na minha vida artística, neste momento, a Obra “O combate”, onde em pleno sufoco e isolamento ocasionado pela recente pandemia, me vi impedida de abraçar um irmão que havia sido hospitalizado. Joguei todas as emoções vivenciadas ali, retratando minha dor, meu lamento e impotência, juntando no trabalho 4 irmãos unidos pela cura, uma vitória conquistada, porque acreditar no trabalho trará não só beleza mas força a Obra.



Quais são suas referências?

Minhas referências vão do clássico ao contemporâneo, passando por vários estilos e escolas, desde que suave e me faça pensar, sonhar...

Gosto de visitar museus, seja Brasil ou os mais imponentes fora sentir as Obras de artistas renomados de vários Países, épocas e estilos, chegar perto dessas obras consagradas, mas amo o trabalho de Gustav Klimt, Paul klee, Manet, Dali, Juarez Machado, Vick... admiro toda a forma de Arte, toda expressão é válida.





Qual mensagem você deixa para um aspirante?


Eu diria a um aspirante que não se intimide por não possuir apurado conhecimento no mundo das Artes, estude história da Arte homeopaticamente, visite museus, aprecie Arte.

Ter formação em belas Artes, não garante a profissão, não tenha medo de parecer ridículo, desafie, crie suas técnicas, seu estilo, enfrente o desafio de apenas mostrar seu trabalho sem medo das críticas porque elas farão você crescer.

Frequente o meio sem supervalorizar Egos, distribua alegria e siga sua trajetória sem olhar para trás. Mágoas da incompreensão com certeza existirão, afinal, personagens, vaidades e Egos poderão servir de Tema para sua próxima exposição.








É verdadeiramente inspirador saber que o início de sua jornada artística foi impulsionado por um sentimento de vazio e a necessidade de encontrar um refúgio para expressar seus sentimentos mais profundos. É admirável que você tenha encontrado o ateliê de Marlene Milanezi Justi em Criciúma, onde desenvolveu suas habilidades artísticas e deu vida a obras que capturam sua essência.
Sua abordagem de se recusar a criar simples cópias e, em vez disso, focar na produção de obras originais, é notável. A arte é um meio poderoso de comunicação, permitindo-nos dar voz aos nossos pensamentos e sentimentos mais profundos. É incrível observar como você utiliza a simbologia para transmitir suas reflexões sobre questões políticas, religiosas e sociais.
Sua busca constante por conhecimento e sua dedicação em desenvolver técnicas exclusivas demonstram seu comprometimento com o crescimento contínuo. Parabéns por sua carreira artística e por ter descoberto um meio tão impactante de se expressar e compartilhar sua essência com o mundo. Suas obras são verdadeiramente inspiradoras e cativantes, e contribuem significativamente para o mundo da arte. Marisa Melo

17 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page