top of page

"A Jornada do Artista: Entre Palavras e Imagens"




A vida do artista é uma incessante busca, seja pela inspiração, pelo domínio da técnica, pela divulgação ou pelo reconhecimento do público. Aqueles que admiram nossas obras muitas vezes desconhecem o árduo trabalho que permeia cada imagem.


Essa jornada envolve uma variedade de atividades, algumas diretamente ligadas à criação, enquanto outras, embora necessárias, podem ser cansativas e burocráticas. Aqueles que verdadeiramente fazem da Arte suas vidas encaram todos esses desafios com tenacidade, movidos pelo prazer de criar e pela alegria de ver suas obras reconhecidas e valorizadas.


Observando e orientando diversos artistas, é notável que um dos maiores desafios para muitos deles é a habilidade de escrever sobre suas obras, um aspecto importante que não pode ser negligenciado. A jornada rumo ao sucesso não permite a omissão de etapas. As imagens constituem nosso trabalho, mas sem palavras que as apresentem, o percurso se torna consideravelmente mais longo.


Alguns podem alegar não ter "jeito" para escrever, uma verdade aceitável. No entanto, a falta de afinidade com verbos e adjetivos não altera a expectativa do público por esse "complemento". O título, por exemplo, é essencial. Um quadro sem título assemelha-se a um filho sem nome. Através do título, o artista resume o que distingue a obra entre todas as outras, inclusive entre seus próprios trabalhos. Preferencialmente, que não seja óbvio, que intrigue e desafie o observador, fazendo referência a algo que o público poderia ou deveria conhecer, seja uma referência aos clássicos, uma pitada de História ou Literatura.


Ao criar uma coleção, a necessidade de um título também se faz presente, orientando o observador sobre a relação entre diferentes trabalhos, que, por sua vez, contam uma história.


Aqueles que apreciam a Arte desejam sempre mais. Quem é o compositor desta obra? O que o artista sentia ao pintar? O que estava vivenciando naquela época? Observar as obras de um artista ganharem cores vibrantes em períodos felizes e tornarem-se sombrias em anos de dificuldades é fascinante. O artista é, também, um observador. Todos compartilhamos o prazer de descobrir as intenções por trás de uma imagem. Por que, então, negar essa informação ao público?



 


8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page