top of page

Uma Fusão de Tempo e Movimento na Obra Surrealista de Natan D’Sampa



Obra exposta na FIABCN/2023 - Museu Maritim de Barcelona



A obra de Natan D’Sampa oferece um convite intrigante para uma interpretação que transcende o observador para um universo surreal, onde passado e futuro se entrelaçam em um balé visual. A técnica acrílica sobre tela é empregada, destacando-se como protagonista dessa narrativa, que se abre com uma fusão única de elementos.


No centro da composição, um homem em posição de corrida captura a atenção imediata do espectador. Seu gesto sonoro sugere não apenas movimento físico, mas também um impulso, evocando uma progressão temporal. É uma escolha notável, instigando a reflexão sobre o papel do indivíduo no tempo.


A presença dos números gregos e romanos, incorporados à cena, adiciona uma camada intrigante à composição. Esses sistemas numéricos, representando diferentes eras históricas, convergem de maneira harmoniosa, indicando uma coexistência entre tempos antigos e modernos. Essa fusão simboliza uma ponte entre o passado e o futuro, transcendendo as limitações cronológicas.


A figura feminina que observa essa interação temporal, sugere um papel ativo na compreensão e reflexão dessa fusão. Ela se torna a conexão entre o homem em movimento e a complexa tapeçaria que se desenrola diante de seus olhos.


A escolha estilística do surrealismo oferece à obra uma qualidade onírica provocativa. Cada elemento parece existir em um estado de suspensão, desafiando as leis da realidade. A obra transcende a técnica e se torna uma viagem pela fusão de tempo e movimento. A habilidade do artista em mesclar elementos distintos em uma composição coesa cria uma narrativa visual envolvente. A obra convida o observador a contemplar não apenas a cena diante deles, mas a explorar as nuances do tempo e a dinâmica das experiências humanas encapsuladas neste enigma visual.

2 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page