• Marisa Melo

Um Projeto pra chamar de Meu!

Comandamos mesmo nossas vidas? O que queremos estar fazendo daqui a 10 anos? Conduzimos nosso veleiro ou somos levados como folhas numa tempestade? Há pessoas que seguem um plano. Outras seguem a corrente. Outras nem isso. Seja qual for seu projeto de vida, ele exigirá muito de você:

Atingir qualquer Nirvana depende do aprendizado e da prática dos ensinamentos. Chegar à realização de nossos sonhos implica em planejamento, esforço e dedicação.

Se nossa vida pessoal pede um rumo, um norte, o mesmo pode-se dizer sobre um projeto de arte. Um artista não cria uma dúzia de quadros e espera que o público venha até ele ansioso para disputar a tapa o direito de adquirir suas obras.


Marisa Melo


Houve um tempo em que não se conhecia a origem da vida. Foi só no século XIX, depois de uma série de experimentos, de Spallanzani a Pasteur, que foi derrubada de vez a teoria da “Geração Espontânea”, que afirmava que a vida era gerada sozinha, sem depender de seres semelhantes.

Essa teoria caiu por terra. Mas muita gente ainda hoje acredita que algumas coisas aparecem sozinhas, por geração espontânea, sem necessidade de nossa ação.

Na Arte, por exemplo, isso não acontece. É preciso uma série de ações bem coordenadas.

O sonho de todo artista é poder se concentrar apenas na criação. “Eu só quero pintar”. Mas ele descobre, surpreso, que é preciso mais. O chamado Projeto de Arte.

É preciso escrever muitos textos.

É preciso enfrentar as burocracias.

É preciso vender.

É preciso cuidar da divulgação em redes sociais 24h/dia.

A pergunta inicial é: Qual a história que o projeto conta? Todos adoram ouvir histórias. Jonathan Gottschall diz que “somos viciados em histórias. Mesmo quando o corpo dorme, a mente fica acordada a noite toda contando histórias para ela mesma”.

Então uma coleção deve contar uma história. As imagens devem contar essa história, e desenvolver o tema, se possível numa sequência. Qual a parte que cada quadro conta? Qual sua conexão com o tema?

Todas devem seguir uma linha básica consistente. A intersecção das obras deve ser a espinha dorsal, em relação a cores, estilo e sentido.

Definida a história a contar, é preciso saber onde apresentar. Exposição? Quais os requisitos? Há um edital e formulários a preencher? Quem vai julgar as candidaturas? E o que esperam?

É preciso escrever a sinopse. E também uma descrição de cada obra, indicando o que ela representa e qual seu papel no conjunto, pois o observador deve entender por que a obra está exposta.

Além da coleção em si, é preciso cuidar da promoção.

É importante escrever uma biografia para que o público saiba que você existe.

Entrevistas mostrarão o que anima sua inspiração e contarão um pouco de você. Também é importante divulgar textos críticos de suas obras. Que deem ao público uma análise que represente seriedade, profundidade e reflexão.

Se possível numa linguagem adequada aos críticos e acessível aos leigos.

Isto feito, há toda uma promoção nas redes sociais, a busca de visualizações, a questão do impulsionamento.

O artista pode abraçar todas essas tarefas além do processo criativo. Ou buscar quem o ajude cuidando de tudo que não seja a criação em si, seu objetivo maior.

Todo esse trabalho é a chance do artista apresentar, explicar e compartilhar. De ter sua obra vista e, mais que isso, compreendida. A oportunidade de chegar ao observador que vai se encantar com suas imagens e entender o que está por trás de cada uma.

A identificação vindo como fruto da imagem e de toda a história que ela conta.

Para o artista, cada projeto de Arte é peça fundamental de seu projeto de vida.

Porque para o artista, a Arte é a própria vida.



A project to call my own

Do we really control our lives? What do we want to be doing 10 years from now? Do we drive our sailboat or are we taken like leaves in a storm?

There are people who follow a plan. Others follow the current. Others not even that.

Whatever your life project, it will demand a lot from you.

Achieving any Nirvana depends on learning and practicing the teachings.

Reaching our dreams comes with planning, effort and dedication.

If our personal life calls for a direction, a north, the same can be said about an art project. An artist does not create a dozen paintings and waits for the public to come to him eager to dispute the right to acquire his works.

There was a time when the origin of life was unknown. It was only in the 19th century, after a series of experiments, from Spallanzani to Pasteur, that the theory of “Spontaneous Generation” was overturned. It stated that life was generated by itself, without depending on similar beings.

That theory fell apart. But many people today still believe that some things appear by spontaneous generation, without the need for our action.

In Art, for example, this does not happen. It takes a series of well-coordinated actions.

Every artist's dream is to be able to focus only on creation. "I just want to paint".

But he finds, surprised, that more is needed. The so-called Art Project.

It is necessary to write many texts.

It is needed to face bureaucracies.

It is necessary to sell.

It is necessary to take care of the promotion in social networks 24h / day.

The initial question is: What is the story that the project tells? Everyone loves to hear stories. Jonathan Gottschall says that “we are addicted to stories. Even when the body sleeps, the mind stays up all night telling stories to itself”.

So a collection must tell a story. The images should tell this story and develop the theme, if possible in a sequence. What part does each frame count? What is its connection with the theme?

All must follow a consistent basic line. The intersection of the works must be the backbone, in relation to colors, style and meaning.

Once the story is told, you need to know where to present it. Exhibition? What are the requirements? Is there an announcement and forms to be filled out? Who will judge the applications? And what do they expect?

You must write the synopsis. And also a description of each work, indicating what it represents and what is its role in the set, as the observer must understand why the work is exposed.

In addition to the collection itself, it is necessary to take care of the promotion. It is important to write a biography to let the audience know that you exist.

Interviews will show what inspires you and tell a little about yourself. It is also important to publish critical texts of the works. In order to offer the public an analysis that represents seriousness, depth and reflection. If possible in a language suitable for critics and accessible to the buyers.

There is a whole activity to be done on social networks, the search for views, the issue of boosting.

The artist can embrace all of these tasks beyond the creative process. Or seek professional help to take care of everything other than creation itself.

All this work is the artist's chance to present, explain and share. To have his production seen and, more than that, understood. The opportunity to reach the observer who will be enchanted with his images and understand what is behind each one. The connection coming as a result of the image and the whole story it tells.

For the artist, each Art project is a fundamental part of the life project.

Because for the artist, Art is life itself.



17 visualizações

Subscribe to our newsletter

© 2019 Marisa Melo

São Paulo - Brasil 

e-mail: contato@marisamelo.com

+55 (11) 99724 0909

SIGA-NOS

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Facebook Clean
  • Branca Ícone Instagram