• Marisa Melo

Karla Lessa


A obra de Karla Lessa endereça uma série de metáforas conceituais que permitem desvendar sua trajetória e amadurecimento artístico.





DIVERSIDADE INSTIGANTE


Fruto da experimentação e de um exercício consciente de liberdade, sua expressão que já se manifestou de aquarela a grafite, encontra afirmação e segurança com o nanquim.

O self e a persona pública se conciliam, mas guardam suas divergências e explicitam suas antíteses nos diferentes caminhos que Karla com destreza percorre na tela. Os momentos exteriores da alegria traduzida em cores, ora Pop, ora num flerte cubista, dão um contraponto a obras em preto e branco e sépia. Estas últimas, claramente intimistas, conduzem o observador à reflexão.

A alternância entre o Abstrato e o Figurativo não inibem a essência criadora comum, de caráter essencialmente feminino, de um modo menos explícito que, por exemplo, Georgia O’Keffee. Com suavidade e leveza, uma corporalidade se faz presente de modo sutil num balé de linhas e sinuosidades.

Instigante, seu trabalho desafia o observador na busca do significado, da figura implícita no abstrato, da abstração que ronda e paira sobre a figura.

Livre de âncoras emocionais, Karla sugere, insinua. E retrata dilemas atemporais ao apresentar com elegância um universo com o qual o observador se identifica, ao reconhecer nele uma diversidade que é a síntese de sua própria existência.







Stunning diversity

Karla Lessa's work addresses a series of conceptual metaphors that reveal her artistic trajectory and maturity. As a result of experimentation and a conscious exercise of freedom, her expression, which has already manifested itself from watercolor to graphite, finds affirmation and security with the ink.

The inner self and the public persona reconcile, but keep their differences and explain their antitheses in the different paths that Karla deftly travels on the screen. The outer moments of joy translated into colors, now Pop, now in a cubist flirtation, give a counterpoint to works in black and white and sepia. The latter, clearly intimate, lead the observer to reflection.

The alternation between the Abstract and the Figurative does not inhibit the common creative essence, of an essentially feminine character, in a less explicit way than, for example, Georgia O’Keeffe. With softness and lightness, a corporeality is subtly present in a ballet of lines and sinuosities.

Instigating, her work challenges the observer in the search for meaning, for the figure implicit in the abstract, for the abstraction that hovers over the figure.

Free of emotional anchors, Karla suggests, hints. And she portrays timeless dilemmas when presenting with elegance a universe with which the observer identifies, recognizing in it a diversity that is the synthesis of his own existence.

.



0 visualização

Subscribe to our newsletter

© 2019 Marisa Melo

São Paulo - Brasil 

e-mail: contato@marisamelo.com

+55 (11) 99724 0909

SIGA-NOS

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Facebook Clean
  • Branca Ícone Instagram