• Marisa Melo

Joker: A Dama de Espadas de Priscilla Ferreira



Existe o que chamamos de “destino”? Nossas trajetórias já estão definidas e não há como evitar tudo que acontece em nossas vidas? Existe acaso? Livre Arbítrio? Se somos marionetes, quem nos comanda? Se somos apenas peças num tabuleiro ou cartas de um baralho celestial, qual o sentido disso tudo? Distrair o tédio de um Universo brincalhão?


Com a obra “Joker”, a artista visual Priscilla Vezzit Ferreira nos oferece uma composição rica em detalhes e possibilidades. Um fundo negro cria expectativas sobre o que pode estar ali mas não enxergamos. Uma conexão cósmica com galáxias e universos que não distinguimos no céu noturno. Esta intrigante arte digital quebra regras e escapa do convencional.


Nos retratos normalmente somos atraídos pelos olhos que nos observam. Não aqui. Uma franja negra que se confunde com o fundo esconde os olhos. Mas a figura feminina não perde seu poder de sedução e atração. Lábios se destacam. E desenvolvem uma cumplicidade cromática com unhas negras que definitivamente estabelecem o clima de mistério. Que começa com o próprio título, porque a imagem dessa Dama de Espadas se chama “Joker”. Que é o nome do Coringa em Inglês, e também pode ser traduzido como “Brincalhão”.

Pode ser que o brincalhão seja o Universo, para quem somos apenas mais uma carta.

Mas pode ser a própria Priscilla, que se diverte a jogar com a interpretação do observador, talvez para nos lembrar que o jogo não é marcado. Que não somos manipulados. Ao contrário, cada um tem pleno comando de sua trajetória. E tudo que acontece, para o bem ou para o mal, é fruto de nossas próprias ações, decisões e pensamentos. Se a Dama pode ser o Coringa, nada impede que todos nós tenhamos a importância dos reis.

Seja de Copas, Paus, Ouros ou Espadas.

Joker by Priscila Ferreira

Is there what we call "destiny"? Are our trajectories already defined and is there no way to avoid everything that happens in our lives? Is there free will? If we are puppets, who manipulates the strings? If we are just pieces on a board or cards from a celestial deck, what is the point? Distract boredom from a playful Universe?

With the work “Joker”, visual artist Priscilla Vezzit Ferreira offers us a composition rich in details and possibilities. A black background creates expectations about what may be there but we don't see it. A cosmic connection to galaxies and universes that we can’t distinguish in the night sky. This intriguing digital art breaks rules and escapes the conventional. In portraits, we are usually attracted by the eyes that watch us. Not here. A black fringe that blends with the background hides the eyes. But the female figure does not lose her power of seduction and attraction. Lips stick out. And they develop a chromatic complicity with black nails that definitely establish the atmosphere of mystery. That starts with the title itself, because the image of this Queen of Spades is called “Joker”.


It may be the prankster is the Universe, for whom we are just another card.

But it may be Priscilla herself, who has fun playing with the observer's interpretation, perhaps to remember us that the game is not predefined. That we are not manipulated. On the contrary, we have control of our trajectory. And everything that happens, for better or for worse, is the result of our own actions, decisions and thoughts. If the Queen can be the Joker, nothing prevents us all from having the importance of kings.

Be it Hearts, Clubs, Diamonds or Spades.

5 visualizações

Subscribe to our newsletter

© 2019 Marisa Melo

São Paulo - Brasil 

e-mail: contato@marisamelo.com

+55 (11) 99724 0909

SIGA-NOS

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Facebook Clean
  • Branca Ícone Instagram