top of page

Arte e Empreendedorismo:curadora aponta os três desafios para tornar a arte um negócio rentável

Atualizado: 1 de ago. de 2023



É comum que as pessoas queiram transformar um hobby em profissão. No entanto, é necessário ter ciência de que certas mudanças precisam acontecer para se criar um negócio. Se antes a atividade era realizada exclusivamente por prazer, ela se tornará fonte de renda e de desenvolvimento profissional. Isso significa que será necessário dedicar mais tempo e esforço, mesmo em momentos nos quais a criatividade e a inspiração não estejam presentes.


“Ao transformar o hobby em profissão, é provável que atividades menos prazerosas precisem ser realizadas para ser um negócio lucrativo. Por exemplo, se o hobby é cozinhar, ao se tornar um chef de cozinha, será preciso lidar com questões administrativas, gerenciamento de equipe e atendimento ao cliente, o que pode não ser tão divertido quanto fazer as receitas – e o mesmo acontece no ramo da arte. Porém, é possível manter a satisfação e realização pessoal ao decorrer dessa transformação, desde que haja disposição para aprender e evoluir”, elucida Marisa Melo, curadora e fundadora da UP Time Art Gallery, galeria de arte itinerante que busca disseminar o que há de melhor na arte contemporânea.


Pensando em ajudar artistas iniciantes que desejam viver da própria arte, Marisa, que conta com mais de 30 anos de experiência no ramo, comenta os três maiores desafios de tornar a arte um negócio rentável e explica como superar tais dificuldades, com o objetivo de obter resultados positivos e ganhar notoriedade no mercado artístico. Confira, a seguir, quais são eles:




Marisa Melo - Curadora e agente no mercado de arte




Desafio 1: Sustentabilidade financeira De acordo com Marisa, um dos maiores desafios para empreendedores na área da arte é alcançar a sustentabilidade e estabilidade financeira. “Muitos artistas e projetos artísticos enfrentam dificuldades para obter financiamento e gerar receita suficiente para cobrir os custos operacionais e de produção, o que pode deixá-los desmotivados e frustrados com a profissão”, acrescenta. Além disso, a instabilidade econômica e a natureza, muitas vezes sazonal, do mercado de arte também podem dificultar a previsibilidade dos lucros, tornando a gestão financeira uma tarefa complexa. Dessa forma, torna-se imprescindível se atentar a esse aspecto antes de iniciar uma carreira exclusivamente artística, já que essa será a fonte principal de sustento financeiro.



Desafio 2: Reconhecimento e marketing Outro ponto a ser debatido é que a concorrência no mundo artístico é intensa e destacar-se em meio a tantos outros pode ser complicado. “A falta de reconhecimento inicial pode ser um empecilho para novos empreendedores atraírem a atenção de galerias, colecionadores e do público em geral, fazendo com que diversos artistas desistam no meio do caminho”, adiciona a CEO. Portanto, para alcançar maior representatividade no meio, é fundamental ter um marketing eficaz, para promover o trabalho.



Desafio 3: Equilíbrio entre criatividade e comercialização Outro ponto relevante e que pode se mostrar um desafio para muitos é a necessidade de encontrar um equilíbrio entre a expressão artística e a comercialização. Por um lado, os artistas precisam ser autênticos e fiéis à sua visão criativa, mas também precisam considerar as preferências e expectativas do público e, principalmente, dos potenciais compradores. Essa tensão entre a arte como uma expressão pessoal e a necessidade de criar algo comercialmente viável pode ser difícil de administrar, especialmente quando há pressões externas para seguir tendências ou abordar temas populares. “Conhecer e compreender seu público, mas não deixar de lado sua verdadeira essência, é uma habilidade extremamente importante para qualquer um que deseja viver da própria arte”, esclarece.


Por fim, Marisa aponta que o empreendedorismo neste ramo exige uma combinação única de habilidades criativas, gestão e marketing, bem como resiliência para superar desafios que são inerentes a esse setor. “É necessário manter o amor pelo que fazemos e estar sempre abertos a novas possibilidades e desafios. Dessa forma, é possível transformar um hobby em uma carreira de sucesso e, ainda assim, sentir a mesma paixão e entusiasmo”, finaliza a curadora




https://blackcarddigital.com.br/tudocomtudo/arte-e-empreendedorismo-curadora-artistica-aponta-os-tres-desafios-para-tornar-a-arte-um-negocio-rentavel.html?fbclid=IwAR22CMT_x9QtTJtHRseXcVtgVNzHbIJamYvELBmF434J32PKSFiDRUk_XQ8

9 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page