top of page

"Mona Lisa Revivida: A Poesia de IagoDS nas Cores da Dualidade Nipônica"

Atualizado: 18 de out. de 2023


A eterna busca por decifrar e satisfazer os desejos da alma feminina, representada de forma misteriosa, tem sido um desafio constante ao longo da história da arte. O ardente anseio de Marte por compreender e agradar Vênus, permeia a trama da existência, transcende séculos e encontra sua expressão nas telas e esculturas. Nesse caleidoscópio de representações, um ícone emerge com um sorriso enigmático que transcende o tempo: a Mona Lisa.

O talentoso artista visual Iago Souza, com seu habilidoso uso do nanquim, concebeu uma releitura visual dessa icônica figura, mergulhando na riqueza da tradição nipônica. A paleta de cores planas, reminiscente da serigrafia, composta por matizes de vermelho, amarelo e preto, é um elemento fundamental que, de forma ordenada, evoca a cultura japonesa. Nessa simbiose harmônica entre o tradicional e o contemporâneo, a imprecisão do sorriso e o olhar penetrante da Mona Lisa revelam uma expressão carregada de intensidade.

A obra de Iago produz um intrigante efeito ótico, que faz com que os observadores tenham a sensação de que os olhos inquisitivos e perscrutadores da Mona Lisa os acompanham de todos os ângulos, desafiando o espaço e o tempo.

Com essa releitura, Iago não busca somente a autoria, outrora exclusiva de Leonardo da Vinci, mas desencadeia uma rica narrativa em torno da famosa pintura. Ao fazê-lo, ele também esculpe novos estereótipos e questiona os preconceitos tradicionais, expandindo nossa percepção da Mona Lisa e seu legado.



2 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page